SEGURANÇA DO GATO

Garantir que o gato está em segurança é uma preocupação de qualquer dono. images11

Apesar disso, por vezes podem existir descuidos que resultam sobretudo da do desconhecimento quanto aos  interesses e comportamentos  dos gatos.

Casas e rua são um mundo vasto em que os nossos amigos se movimentam e que de forma diferente, podem apresentar riscos diferentes.

Quais os cuidados de segurança que devo ter em casa?

Os gatos são animais que zelam muito pela sua segurança. São cuidadosos e cautelosos, olham com cautela para o que é novo e diferente, mas possuem uma curiosidade que leva a que esqueçam todos os cuidados, e que frequentemente os coloca em situações de perigo para as quais temos que estar muito atentos.

Deve ter muito cuidado com as portas de acesso à rua. Sobretudo no caso de se tratar de um gato que não está habituado a sair à rua, os riscos são enormes: desde logo, poderá facilmente perder-se. Se encontrar outros gatos, estes vão defender o seu espaço e podem atacar e provocar ferimentos (perigosos também porque as feridas permitem a transmissão de doenças).

Também há o contacto com fezes de outros animais que são fonte de transmissão de doenças, e claro o perigo de ser atropelado.

Em apartamentos, de forma a evitar quedas que muitas vezes são mortais, temos que ter sempre muito cuidado com janelas e varandas abertas e acesso a telhados.

Para evitar perigos de envenenamento temos que ter cuidado com:

  • Plantas (apenas algumas plantas)
  • Detergentes
  • Ingestão de medicamentos humanos
  • Aplicação incorrecta de produto para eliminar parasitas (aconselhe-se com o veterinário sobre qual aplicar e em que quantidade)
  • Venenos existentes nas ruas e campos.

Os perigos de estrangulamento  e asfixia são reais e resultam de:

  • Sacos (porque o gato pode ficar preso nas asas e podem estrangula-lo)
  • Fios de qualquer espécie
  • Fios eléctricos (que podem também provocar choques)

Também existem perigos de queimaduras com ferros de engomar, lareiras (sobretudo no caso de lareiras abertas (sem recuperado de calor), em que podem saltar pequenas fagulhas, aquecedores ou mesmo bicos do fogão ligados.

Esteja atento aos resíduos de um qualquer objecto de vidro que se tenha partido:  deve aspirar toda a área circundante, porque existem partículas invisíveis que podem ser ingeridas ou então podem ferir as patas do seu gato.

Também tem que ter muito atenção às máquinas de lavar roupa, de secar roupa e geleiras, pois acontece com muita frequência a visita, por parte do seu gato, ao interior desses electrodomésticos.

No caso dos gatos bebés os cuidados ainda são maiores porque os perigos também aumentam. Não só porque possuem menor noção do perigo e vão mais descontraidamente ao seu encontro, como porque sendo tão pequenos, há ainda que ter  muito cuidado com todos os buracos que existam em casa, tais como um cano aberto de saída da água, uma janela partida ou mesmo a sanita
destapada.

Quais os cuidados de segurança que devo ter no transporte?

O transporte tem sempre que ser feito na transportadora (própria ou improvisada), mesmo que o seu gato não aprecie e utilize todos os meios para evitar ser lá colocado.

Apesar das grandes miados que podem ocorrer, e que nos deixam com um grande sentimento de culpa, não ceda a tentações: é um grande erro pensar-se que como o gatinho é meigo não haverá qualquer problema em transporta-lo ao colo ou mesmo livremente no carro. Se alguma situação assusta o animal (podem ser muitas e são normalmente imprevistas pelo dono) a reacção é absolutamente inesperada e pode levar a que o seu gato fuja ou então que tenha atitudes agressivas, depende das circunstâncias e do pânico.

Mesmo quando se trata de um bebé, deve levá-lo sempre numa transportadora, pode fugir e pode esconder-se num buraquinhos que nós nem sequer pensamos que existe (por exemplo, atrás do porta luvas do carro).

Devo por uma coleira para facilitar a identificação em caso de fuga?

As coleiras, com a identificação do dono e com os contactos, são um bom auxilio mas situações em que o gato se perdeu, sendo portanto recomendado a sua utilização.

Deve no entanto ter muito cuidado a colocação para evitar algum mal-estar ao gato na sequência de estar apertada.

Por outro lado, não deve de forma alguma colocar um qualquer modelo de guiso porque o som que produz de forma sistemática representa uma tortura para o gato, não só porque é um som frequente, como também porque o gato tem uma capacidade auditiva muito superior à dos humanos e portanto o volume do som do guiso deve ser ensurdecedor para o animal.

Devo colocar a identificação electrónica (Microchip) no gato?

O Chip é uma forma muito eficaz de identificar o seu gato e desta forma de evitar um fim trágico caso tenha fugido de casa e tenha sido capturado pela carrinha da Câmara Municipal.

Segundo a legislação em vigor, qualquer animal que seja identificado através da leitura do Chip, não pode ser abatido.

Colocar o chip não é doloroso, não tem qualquer efeito secundário e de facto pode ajudar nas situações em que o gato fugiu de casa.

Para mais informações consulte, neste site, o tópico “Identificação/Microchip”

Posso deixar as janelas entreabertas?

Os gatos, para além de serem curiosos, são também muito persistentes, o que leva a que uma pequena fresta de uma janela se possa transformar numa janela totalmente aberta, passado um bom bocado a ser empurrada com as patas.

Assim, uma pequena abertura de uma janela pode facilmente transformar-se numa janela aberta e permitir a fuga de casa.

Lembre-se que o seu gato passa horas em casa sem a sua companhia e mesmo quando está presente nem sempre percebe o que ele está a fazer, portanto evite surpresas e feche sempre as janelas.

Existem soluções que permitem arejar a casa e manter a segurança do gato, por exemplo modalidades de abertura na vertical ou mesmo a colocação, nas janelas, de redes finas.

Como o meu gato tem um grande equilíbrio devo deixa-lo ir para o telhado ou mesmo para os parapeitos das janelas?

Na maior parte dos casos os gatos têm um equilíbrio que espanta qualquer pessoa, mas também falham e também caiem. Portanto, apesar de parecerem seres muito seguros quando se deslocam em qualquer altura, deve ter a consciência de que os acidentes acontecem e são muitas vezes mortais.

Não deve permitir que o seu animal corra riscos de vida. Evite que saia de casa.

É popular dizer que o gato tem sete vidas, e que quando cai não há problema. É verdade esta afirmação?

Um gato não tem sete vidas e quando cai pode morrer imediatamente ou então pode ferir-se gravemente!

É verdade que o gato quando cai tem o instinto de se preparar para a queda e se tiver tempo cai de forma a minimizar o acidente, mas o risco de ter ferimentos é muito elevado e muitas das vezes estes são mortais.

Não deixe que uma afirmação popular ponha a vida do seu gato em risco e proteja-o.

fonte

uniaozoofila

Anúncios