FÉRIAS

koo

A ida para férias é sempre um período bom e muito apreciado para os humanos, mas para os gatos é uma situação de instabilidade e de algum stress, quer decida levá-lo consigo, quer o deixe ficar num hotel ou mesmo se optar por deixá-lo em casa entregue aos cuidados de amigos ou familiares.

A melhor decisão está dependente do tempo de férias e do tipo de férias.

Vou de férias e vou levar o meu gato comigo, quais os cuidados que devo ter na viagem?

Na esmagadora maioria, os gatos não gostam de viajar, porque se sentem inseguros e porque tudo o que se passa à volta é novo e desconhecido: os barulhos, os cheiros etc.

Perante um ambiente tão inseguro, é normal que o animal tenha medo e pode assustar-se em situações completamente inesperadas, por isso terá sempre que transportar o seu gato numa transportadora própria.

É um erro muito grande pensar que como o gatinho é meigo pode ir na parte de trás do carro, calmamente, como se estivesse no sofá da sala.

Existem muitos casos onde o gato se assusta, por exemplo, com uma travagem brusca, e tem uma atitude agressiva ocorrendo em alguns casos o ferimento do dono.

Mesmo quando o animal não para de miar porque está fechado na transportadora, não deve ceder e deixá-lo sair.

Nunca deve deixar o gato sozinho no carro, porque pode estar muito calor ou existir falta de ar. Existem muitos casos terríveis de morte em situações provocadas por esta irresponsabilidade, quer por desidratação quer por falta de oxigénio.

Vou de férias e vou levar o meu gato comigo: devo ter alguns cuidados especiais na nova casa?

A ida do gato para a casa de férias é o mesmo que mudar de casa. Portanto, de facto terá que ter muitos cuidados, em especial os relacionados com a segurança.

É natural que a casa de férias tenha acesso ao exterior e eventualmente acesso à estrada. Se for este o caso, tem duas soluções possíveis: ou não deixa o animal sair de casa, o que é sempre difícil, ou então terá que proteger a área dos grandes perigos que surgem através do acesso ao exterior. Pode vedar a varanda/terraço/jardim para inviabilizar a saída do seu animal.

Existe a tendência para se pensar que como a casa de férias está longo da estrada não é necessário ter grandes preocupação.

Só que o perigo não é apenas o do atropelamento imediato, o perigo surge assim que deixar de ver o seu gato: ele pode perder-se e não conhecendo a casa, não saberá voltar.

Portanto, a ida para a casa de férias é um processo difícil para o gato, e pode ter associado muitos perigos. Mas a adaptação do gato faz-se relativamente rápido e se tiver a zona protegida, não duvide que será um prazer ver o seu gato a desfrutar e brincar na relva do jardim.

Como posso deixar bem entregue o meu gato na situação de umas férias para onde não o posso levar?

Hoje já existem muitos hotéis para estadia de animais, que garantem todas as condições para albergar animais de estimação nas férias. Esta opção não é a mais económica, mas como o número de hotéis tem aumentado, o preço tende a ser cada vez menor.

Existem também serviços de apoio domiciliário, garantindo o bem-estar do seu animal no período em que está ausente. Este serviço é garantido com a deslocação das pessoas que irão tratar do animal à própria casa, evitando, assim o stress habitual de mudança temporária de residência, provocando o menor transtorno ao animal. Para informações contacte uma qualquer Associação de Defesa dos animais, um veterinário, ou até recomendações de algum amigo que tenha utilizado este serviço.

Por outro lado, é sempre possível contactar os amigos. Verá que pode ficar surpreendido pela disponibilidade demonstrada em ocuparem algum do seu tempo a garantir que os seus amigos ficam em segurança enquanto se encontra ausente.

fonte

uniaozoofila

Anúncios