OS 5 ERROS MAIS COMUNS NA ALIMENTAÇÃO DO SEU GATO

racao-seca

Gatinhos são bastante exigentes quando o assunto é comida, e isso torna mais difícil alimentá-los.

Muitas vezes, donos de gatos pecam na escolha e na forma de alimentar seus bichanos na tentativa de agradar o paladar felino. Com medo de que seu gatinho possa ficar com fome e desnutrido, porque rejeita a comida própria que lhe é oferecida, os donos metem os pés pelas mãos e cometem erros. Confira o artigo e não caia nessa!

No que diz respeito à alimentação dos pets, todos os erros são repletos de boas intenções, mas isso não diminui os riscos que podem oferecer ao seu bichinho.

 

 

Os 5 erros mais comuns

1) Alimentá-lo com comida de cachorro

Comidas desenvolvidas para outras espécies são nocivas, e mitos devem ser desvendados

Esse é um erro que pode causar muitas deficiências nutricionais graves.

As vezes, um gatinho que vive na companhia de um cachorro pode se interessar pela comida de seu amiguinho canino e se alimentar com sua ração, ignorando a própria comida. Isso faz com que o dono pense que o interesse na ração de cachorro é uma questão de preferência, assim, acaba por ceder e alimentá-lo com a mesma comida que o cãozinho come.

Esse é um grande equivoco. Gatos podem até demonstrar interesse na comida alheia, mas isso não quer dizer que ela seja adequada. Cães e gatos têm necessidades nutricionais diferentes: gatos, por exemplo, precisam mais proteína que os cachorros. Além disso, diferentemente de cãezinhos, os gatos não conseguem converter vários precursores alimentares em aminoácidos e vitaminas

Se um gatinho for alimentado por longos períodos com ração canina, ele certamente vai desenvolver deficiências nutricionais, o que pode causar desde cegueira até a morte do animal.

2) Petiscos em excesso

Esses podem levar à obesidade.

Assim como pessoas e cães, gatos podem, sim, ficar obesos. Isso dificilmente ocorrerá se o gatinho se alimentar exclusivamente de comida; é mais provável que o excesso de peso aconteça se seu dono, com o intuito de agradá-lo, dê petiscos fora de hora e sem razão.

Petiscos devem ser dados como recompensa por bom comportamento, ou em algum momento especial. Devem ser a exceção, e não a regra. Muitas vezes, preocupado com o fato de que seu gato não está se alimentando o suficiente, o dono tenta compensar com petiscos, que, mesmo próprios para o animal, não são completos nutricionalmente.

Além dos petiscos fora de hora, é comum ver um dono dando pedacinhos do que está comendo ao seu gato, isso é ainda mais perigoso, pois, além da probabilidade de o gatinho ganhar peso demais, essa comida pode ser  nociva à saúde do pet. Esse é o nosso próximo tópico.

 

3) Dar comida de gente ao seu gato

Comida de humanos pode ser fatal para gatos.

Alimentar seu gatinho com comida para humanos é perigoso . Gatos são sensíveis e não toleram gorduras e temperos, o que pode causar diarreia e vômito.  Além disso, existem comidas que são absolutamente fatais para os felinos, mesmo que sejam bastante saudáveis para os humanos. Entre essas comidas estão:

  • cebola e alho, que, em todas as suas formas, seja pó, cru, cozida, refogada ou desidratada, podem destruir as células vermelhas do sangue do gatinho,  levando –o à anemia. Isso é verdade mesmo para a cebola em pó, encontrada em alguns alimentos para bebês. Uma dose pequena provavelmente não vai oferecer risco imediato, mas comer uma grande quantidade, uma vez, ou comer pequenas quantidades regularmente pode causar intoxicação;
  •  uvas e passas, que têm sido frequentemente utilizadas como guloseimas para animais de estimação. Mas essa não é uma boa idéia. Uvas frescas e uvas passas podem causar lesão renal em gatos. E, mesmo uma pequena quantidade pode fazer um gato ficar bastante doente. Vômitos e hiperatividade são os primeiros sinais.
  • cafeína. Alguns donos acham bonitinho quando seu gato quer acompanhá-los num cafezinho, até molham o dedo e deixam que seu gatinho lamba algumas gotinhas de café. Os sintomas de intoxicação da cafeína incluem agitação, respiração acelerada, palpitações, tremores musculares e convulsões.  É importante lembrar que a cafeína não está presente apenas no café, mas também em chás, chocolate, refrigerantes e bebidas estimulantes, e até em alguns petiscos caninos;
  • chocolate. Assim como para cachorros, o chocolate pode ser letal para gatos.  O agente tóxico é a teobromina, e está presente em todos os tipos de chocolate, em diferentes quantidades. O chocolate com maior teor de teobromina é o amargo.
  • gorduras, sobras de comida e ossos. Sobras de comida, muitas vezes, contêm gordura que foi cortada de carne e ossos. Essa gordura e os ossos podem ser perigosos para os gatos. Gordura, tanto cozida quanto crua, pode causar transtornos intestinais como vômitos e diarreia. Ossos cozidos também são perigosos, o gatinho pode se engasgar ou perfurar algum órgão do trato gastrointestinal;
  • ovos crus. Existe um mito de que ovos crus fazem bem à saúde do gato e são bastante apreciados, no entanto há dois sérios problemas em dar ovos crus ao seu gato. O primeiro é a possibilidade de intoxicação alimentar a partir de bactérias. O segundo é que a proteína de ovo cru, chamada avidina, neutraliza a biotina (vitamina B7), podendo causar problemas à saúde do seu gatinho.

 

4) Acreditar em mitos relacionados à alimentação do gatinho

Diferentemente da crença popular, gatos não devem tomar leite.

 

É comum ver, na televisão, um gatinho insistente que é premiado com uma tigela de leite ou com apenas peixes. Há também os adeptos da alimentação crua, como carne vermelha e peixe que não foram cozidos, que garantem que seu animalzinho se deleita com o prato.

De fato, os gatos vão comer todos esses itens com alegria, no entanto, é um mito que eles sejam comidas ideais para um gatinho.

 

 

  • Atum. Os gatos podem ser viciados em atum, e as latinhas em que vem o atum se assemelham muito às de algumas comidas de gato, então, o dono pensa: “Que mal pode haver em alimentá-lo com atum?”. De fato, de vez em quando, dar a ele um pouco de atum, especialmente se misturá-lo à ração seca, não tem problema nenhum, mas uma dieta exclusiva de atum pode levar à desnutrição, já que esse alimento não é completo nutricionalmente.
  • Leite e derivados. O que pode haver de errado em oferecer um pouquinho de leite ao seu gato? Ou, quem sabe, um pedaço de queijo?  Embora gatinhos filhotes sejam bastante tolerantes ao leite,  os gatos mais adultos não o são. Seu trato digestivo não consegue processar bem alimentos com lactose depois que os felinos ficam adultos, e o resultado pode ser problemas digestivos acompanhados de diarreia e vômito.
  • Carne crua e peixe cru. Uma enzima (tiaminase) contida no peixe cru, destrói a tiamina (vitamina B1), essencial para o gato. A falta de tiamina pode causar sérios problemas neurológicos.
  • Fígado. Pequenas quantidades de fígado tudo bem, mas comer o fígado em excesso pode causar excesso de vitamina A. Essa é uma condição grave que pode afetar os ossos do seu gato. Os sinais incluem : ossos deformados, crescimentos ósseos nos cotovelos e na coluna, e osteoporose.

 

5) Optar exclusivamente por rações secas

Rações secas são ricas em carboidratos e pobres em água.

As rações húmidas são mais palatáveis que as secas e, por isso, às vezes são as preferidas dos gatos. As rações secas contêm pouca água, o que é ruim, e contêm alta quantidade de carboidratos, nutriente do qual os gatos não têm tanta necessidade.

Quem explica é Juliana Maria Neves, médica veterinária:

“O principal erro creio ser os gatinhos se alimentarem com dieta estritamente seca, pois essas dietas oferecem uma quantidade de carboidratos muito grande e pouquíssima água, e os felinos não necessitam desse carboidrato todo. Já a dieta húmida é importantíssima, pois oferece uma grande quantidade de água e ajuda a manter a saúde do trato urinário (….)”.

Além disso, a especialista em felinos explica como a comida deve ser oferecida aos animais:

“Nunca devemos misturar a ração úmida com a seca, sempre devemos oferecer em potinhos diferentes. E, para estimularmos os animais a comerem ração úmida, devemos oferecer essas dietas desde filhote para o animal se adapte às duas sensações, da ração seca e da úmida.”

Juliana prossegue: ‘”É interessante não deixar comida nem água muito próximos, já que, na natureza, muitas vezes eles se alimentam em um lugar e encontram a água em outro local.”  E complementa: “Diferente do que as pessoas pensam, o gato não precisa ter alimentos constantemente nos potinhos, pois alguns animais podem se tornar obesos e compulsivos por comida. O correto é dar a quantidade indicada pelo fabricante da ração para o peso do animal, dividindo essa quantidade em 3 a 4 porções ao dia. E a água, sim, sempre deve ser fresca e à vontade.”.

Outros erros muito comuns

Erros referentes à alimentação são muito comuns, e o dono deve estar sempre muito atento ao que seu bichinho consome, afinal, o que e como ele come está diretamente ligado à qualidade de vida e à sua longevidade. Além desses erros, que são mais comuns, existem outros que podem dificultar a vida do dono e do animal, como por exemplo:

  • deixar sua vasilha de comida e água perto da caixinha de areia. Gatos são super limpos. Você também não gostaria de fazer suas refeições no seu banheiro, não é mesmo?
  • tentar transformar seu gatinho em um vegetariano. Gatos são carnívoros e precisam de proteína animal para sobreviver. Eles não podem se tornar vegetarianos.

Na dúvida sobre a dieta de seu gatinho, consulte sempre um médico veterinário, ele é a pessoa mais indicada para recomendar tipos de comida, rações e apontar os perigos de ingerir algo que não é próprio.

fonte

agendapet

Anúncios