ALIMENTANDO SEU FILHOTE

Alimentando bem o seu filhotepeixe_gato-700045

O filhote possui necessidades nutricionais diferentes dos de um gato adulto. Um alimento Nutrição Saúde, introduzido gradualmente depois do desmame, estimulará seu crescimento e desenvolverá bons hábitos alimentares.

A dieta do filhote deve atender a todos os requisitos essenciais para um crescimento adequado. No nascimento, o recém-nascido suga o colostro da mãe, necessário para uma boa imunidade. Até aproximadamente a 5ª semana de vida, seu aparelho digestivo está preparado para a digestão do leite materno, mas, aos poucos, sua tolerância à lactose (açúcar do leite) vai diminuindo. O desmame, a fase de transição da dieta líquida para a dieta sólida, vai conduzi-lo progressivamente ao alimento do primeiro estágio da linha Nutrição Saúde para filhotes, um alimento completo e balanceado, formulado para essa primeira fase de crescimento intenso que se estende do desmame até o 4° mês de vida. Ao redor da 7ª semana,  o desmame é concluído e, portanto, os hábitos corretos devem começar cedo!

Até 4 meses

Depois de desmamar, o sistema digestivo do filhote ainda está imaturo e frágil. Portanto, é melhor não introduzir nenhuma mudança repentina à sua dieta. No entanto, tal dieta deve satisfazer seus requisitos nutricionais específicos, possuir uma alta concentração de energia e também ser altamente digestível. O fato é que um filhote de 10 semanas necessita de 3,5 vezes mais energia por kg de peso do que um adulto!

Depois dos 4 meses

A partir dos 4 meses de idade, o filhote entra em um período de crescimento mais lento: um alimento Nutrição Saúde para esse segundo estágio, o qual forneça uma segurança digestiva ultra reforçada, contribui para o desenvolvimento dos músculos e dos ossos, e possui um conteúdo de gordura mais baixo. Por volta de um ano de idade, suas capacidades digestivas alcançam a maturidade e o gato pode começar a comer um alimento Nutrição Saúde para adultos que corresponda a seu estilo de vida ou à sua raça. Depois da esterilização, as necessidades energéticas do gato caem e seu apetite aumenta. Sendo assim, recomendamos que você busque aconselhamento veterinário no que se refere ao consumo calórico do animal e o alimento mais adaptado.

Os hábitos alimentares naturais do gato

Na natureza, um gato adulto se alimenta de pequenas presas que caça por instinto. Seu consumo, portanto, é dividido em numerosas refeições pequenas, podendo chegar de 10 a 20 em um período de 24 horas. Uma vez que uma refeição dura apenas um ou dois minutos, ele come de 5 a 6 gramas de comida a cada vez. Este é o comportamento de todos os gatos, mesmo os que vivem em apartamentos e, por isso, é essencial para seu equilíbrio manter o alimento sempre à sua disposição, assegurando-se que esteja fresco e a água deve ser limpa, fresca e se possível estar em mais de um recipiente.

Promovendo um bom hábito alimentar

O filhote deve comer em um ambiente calmo. A área de alimentação, onde ficam a comida e a água, deve ficar o mais longe possível do “banheiro” do gato, ou seja, a caixa de areia. Se houver um cachorro na casa, o melhor lugar para colocar a comida e a água do gatinho é longe do alcance do cachorro, no alto, por exemplo.
É melhor não usar recipientes duplos “água + comida” . A água pode ficar suja e o filhote pode se recusar a bebê-la. Pelo contrário, elas devem ser colocadas bem distantes uma da outra.
Os recipientes de vidro ou de barro têm a vantagem de não reter cheiros e são bastante estáveis.
A comida deve ser deixada à disposição. No entanto, você deve observar a quantidade total ingerida a cada 24 horas, considerando que a quantidade de ingestão recomendada é mencionada na embalagem. A água sempre deve estar limpa e ser pelo menos trocada duas vezes ao dia.

fonte

royalcanin